Brasiliana 13

13
Coordenação Editorial: Ricardo Tacuchian
Conselho editorial - Edino Krieger, Luiz Paulo Horta, Mercedes Reis Pequeno, Regis Duprat e Vasco Mariz
Assessora técnica - Valéria Peixoto
Capa: Sonata, de Reali Servadei
Produção: Andréa Fraga D'Egmont
Projeto editorial e edição: Heloisa Fischer
Editoração: Hybris Design
Versões em inglês: Laura Rónai
                                  Revisão: Cristiane Dantas
                                  Fotolitos: Mergulhar
                                  Tiragem: 1.000 exemplares

Editorial

Resumo dos artigos (em português e inglês) e perfil dos autores

A Estética intertextual na música contemporânea: considerações estilísticas (1)
Ilza Nogueira

Uma sonata, alguns enigmas
Flávio Silva

Lembrando Luiz Heitor
Luiz Paulo Horta

Belkiss Carneiro de Mendonça na Academia Brasileira de Música
Ricardo Tacuchian


Editorial

Tristezas e alegrias são certamente condimentos naturais da vida. É com profunda tristeza que registramos, neste número, a perda recente de dois ilustres acadêmicos: o Padre José Penalva, em 20 de outubro último, e em cuja homenagem a ABM realizou uma sessão solene no dia 19 de novembro, e o nosso querido pPresidente, José Maria Neves, cuja luta tenaz contra uma longa e cruel enfermidade se encerrou no dia 27 de novembro, e que foi homenageado em sessão solene no dia 17 de dezembro. São duas lacunas irreparáveis não só para a Academia como para a própria música brasileira, que perde duas figuras luminares nos campos da criação, do ensino e da musicologia.

Em cumprimento ao que determina o regimento da ABM, o vice-presidente assume a presidência da entidade na falta de seu presidente, para completar o mandato da atual diretoria, procedendo-se à eleição de um acadêmico para a vaga da vice-presidência.

Em meio à tristeza, uma nota de alegria, da qual ainda teve oportunidade de participar o presidente José Maria Neves: a aquisição, em novembro, da sede própria da ABM, um conjunto de dez salas no 12º andar do nº 120 da Rua da Lapa, em pleno centro histórico da cidade, tendo como ilustres vizinhos a Academia de Música Lorenzo Fernândez, a Sala Cecilia Meireles e a Escola de Música da UFRJ. Um espaço privilegiado adquirido com recursos próprios gerados pelos direitos autorais de nosso grande patrono Villa-Lobos, que certamente compartilharia conosco dessa alegria. Nesse novo e amplo espaço, a ABM poderá cumprir com mais eficiência, a partir de 2003, a missão que lhe cabe como instituição máxima da música brasileira.

Cabe finalmente agradecer as valiosas colaborações dos nossos articulistas e a bela capa gentilmente oferecida pela artista plástica Silvia Reali Servadei.

Edino Krieger
Presidente

voltar


A Estética intertextual na música contemporânea: considerações estilísticas

Neste artigo, a autora observa a intertextualidade na composição musical, propondo uma compreensão da diversidade de estilos intertextuais, a qual toma como referencial a teoria elaborada por Affonso Romano de Sant'Anna em seu ensaio "Paródia, Paráfrase & Cia." (São Paulo: Atica, 1985).A exemplificação analítica se concentra em obras de compositores brasileiros contemporâneos, para os quais a intertextualidade exerce um papel essencial na definição de seus estilos: José Alberto Kaplan (1935), Lindembergue Cardoso (1939-1989), Ilza Nogueira (1948) e Wellington Gomes (1960). O objetivo é mostrar e avaliar motivações e propósitos diversos no uso da apropriação intelectual, tais como expressão ideológica e recurso estilístico.

Este trabalho se deriva de um outro, apresentado no II Colóquio Internacional de Musicologia da Casa das Américas (Havana, 22 a 26 de outubro de 2001). A versão original, concentrada num "estudo de caso" e essencialmente distinta desta versão na exemplificação analítica, obteve a "Distinção Internacional" do evento cubano, tendo sido publicada no Boletín Música da Casa das Américas nº 8, 2002, p. 32-43.

Intertextual aesthetics in contemporay music: stylistic considerations

This essay focuses on the observation of intertextual procedures in musical composition, proposing a comprehension of the diversity of styles, from the standpoint of the taxonomic model proposed by Affonso Romano de Sant'Anna in his essay "Paródia, Paráfrase & Cia." (São Paulo: Atica, 1985). The analytical exemplification is directed towards Brazilian contemporary composers, to whom intertextual procedures play a considerable role in the definition of their compositional styles: José Alberto Kaplan (1935), Lindembergue Cardoso (1939-1989), Ilza Nogueira (1948) and Wellington Gomes (1960). The main objective is to show different reasons and to evaluate diverse purposes behind the use of intellectual borrowings, such as ideological expression and style resource.

voltar

Ilza Nogueira

Ilza Nogueira é professora adjunta aposentada do Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba, Pesquisadora Bolsista do CNPq, com produção teórico-analítica centrada na música contemporânea, especialmente direcionada ao estudo do perfil estilístico da "Escola de Composição da Bahia".

voltar


Uma sonata, alguns enigmas

Ao organizar o livro "O Tempo e a Música", sobre C. Guarnieri, o autor foi surpreendido pela complexidade das questões envolvidas pela Sonata nº 2 para violino e piano do compositor. Como é inevitável, a busca de informações continuou após o lançamento do livro. Parece afastada a visão de um permanente idílio na relação entre Guarnieri e Mario de Andrade; muito embora a gratidão e a amizade para com o líder modernista tenham largamente sobrepujado qualquer outro sentimento. É discutível, porém, que a influência do crítico sobre o músico só tenha tido aspectos positivos. Por outro lado, as informações inéditas sobre a primeira esposa do compositor não deixam de suscitar outras perguntas que poderão abrir caminho a novas investigações.

A sonata, and some riddles

Upon organizing the book "Time and Music" (about C. Guarnieri), the author was surprised by the complexity of the questions involved with the Sonata N. 2 for violin and piano by the composer. The search for information inevitably continued after the publication of the book. The vision of a permanent idyll in the relationship between Guarnieri and Mario Andrade seems to have been pushed aside; and yet the gratitude and friendship towards the modernist leader overwhelmed any other sentiment. It remains to be discussed, however, whether the influence of the critic on the musician had only positive aspects. Previously unpublished information on the first wife of the composer cannot fail to provoke other questions that could open the door to new investigations.

voltar

Flávio Silva

Flavio Silva, estudou piano com Milton Lemos, Natho Henn, Hans Graff, Alda Caminha e Homero de Magalhães. Participou de Cursos Internacionais de Férias de Teresópolis e nos Seminários Pró-Arte do Rio de Janeiro estudou com Guerra-Peixe. Como bolsista do governo francês, fez cursos de musicologia e de etnomusicologia em Paris, onde foi diplomado pela École des Hautes Études en Sciences Sociales com a memória "Origines de la samba urbaine à Rio de Janeiro", em 500 páginas. Para a Fundação Nacional de Arte/Funarte, da qual é funcionário, organizou o livro "Camargo Guarnieri - O tempo e a música", que inclui estudos de sua autoria.

voltar


Lembrando Luiz Heitor

Luiz Heitor Corrêa de Azevedo é paradigma e modelo dos musicólogos brasileiros. No transcurso dos dez anos de sua morte, o autor revê a fundamental trajetória daquele que foi organizador da monumental Bibliografia Musical Brasileira e ex-diretor dos serviços de música da UNESCO. Para a análise da nossa música, Luiz Heitor trazia a sua lucidez de estudioso e um olhar desapaixonado - que não significava ausência de paixão.

Luiz Heitor Corrêa de Azevedo, ten years after

Luiz Heitor Corrêa de Azevedo is the paradigm and model for Brazilian musicologists. Ten years after his death, the author considers once more the fundamental trajectory of the man who was the organizer of the monumental Brazilian Musical Bibliography and director of musical services for UNESCO. Luiz Heitor brought the lucidity of a scholar and a dispassionate eye to the analysis of our music - which did not mean an absence of passion.

voltar

Luiz Paulo Horta

Luiz Paulo Horta é crítico de música de "O Globo", e membro da Academia Brasileira de Música. Estudou nos Seminários de Música Pró Arte, e em 1983 publicou seu primeiro livro, de crônicas musicais: "Caderno de Música". Logo a seguir, editou o Dicionário de Música Zahar. Em 1987 publicou "Villa-Lobos: uma introdução". Entre 1985 e 1990, fundou e dirigiu a seção de música do Museu de Arte Moderna, trazendo ao Brasil o compositor Karlheinz Stockhausen. Com Luiz Paulo Sampaio, orientou a edição brasileira do Grove Concise Dictionary of Music. Também publicou "Guia da Música Clássica em CD" e "Sete noites com os clássicos - uma introdução aos estilos musicais". Tem em preparação, com Manoel Correa do Lago, uma biografia de Villa-Lobos.

voltar


Belkiss Carneiro de Mendonça na Academia Brasileira de Música

Elogio acadêmico proferido pelo acadêmico Ricardo Tacuchian na posse da pianista Belkiss Spenzieri Carneiro de Mendonça na cadeira nº 17 da Academia Brasileira de Música, em 26 de setembro de 2002. Tacuchian traça paralelos entre a produção artística da pianista com o patrono Visconde de Taunay e com os acadêmicos que a antecederam, Francisco Casabona e Yara Bernette.

Belkiss Carneiro de Mendonça at the Brazilian Academy of Music

An academic appreciation proferred by the Academician Ricardo Tacuchian upon the investiture of the pianist Belkiss Spenzieri Carneiro de Mendonça into the chair Nº 17 of the Brazilian Academy of Music on Sept. 26, 2002. Tacuchian draws parallels between the artistic production of the pianist with the patron Visconde de Taunay and with the Academicians that preceded her, Francisco Casabona and Yara Bernette.

voltar

Ricardo Tacuchian

Ricardo Tacuchian é compositor e regente. Doutor em Música pela University of Southern California, professor da Universidade do Rio de Janeiro, membro e ex-presidente da Academia Brasileira de Música. Escreve para as principais revistas especializadas em música no Brasil. em 2000 foi Residente da VIlla Serbelloni, em Bellagio, Itália, sob o patrocínio da Rockefeller Foundation. Em 2002, recebeu encomenda da Fundação Apollo, de Bremen (Alemanha), para compor ciclo de canções com versos de Drummond, e foi compositor convidado do Oitavo Festival Other Minds, em São Francisco (EUA). Está em Portugal até abril de 2003, como professor visitante da Universidade Nova de Lisboa e pesquisador do Museu da Música Portuguesa, em Cascais.

voltar