Ernst Mahle Cadeira n° 6
Fundador Antônio Garcia de Miranda Neto
     
Acadêmico atual

Nasceu em Stuttgart, Alemanha, em 1929, mas é brasileiro naturalizado desde 1962. Foi aluno de composição de Johann Nepomuck David, na Alemanha, de Hans Joachim Koellreutter, no Brasil. Estudou no Conservatório Dramático Musical de São Paulo e frequentou cursos internacionais de férias em Lucerna, na Suíça, Darmstdat, Alemanha, e Salzburgo, na Áustria, onde foi aluno de Olivier Messiaen, Wolfgang Fortner e Ernest Krenek. Estudou também regência com L. von Matacic, Rafael Kubelik e Mueller-Kray. Em 1953, foi um dos fundadores da Escola de Música de Piracicaba, onde exerceu, durante 50 anos, as funções de diretor artístico, professor e maestro dos vários conjuntos da entidade: coro, orquestra de câmera e sinfônica. Em 1965, recebeu o título de “Cidadão Piracicabano”, por seus trabalhos em prol da educação da juventude.

Idealizador e presidente da comissão julgadora dos Concursos Jovens Instrumentistas Brasil – Piracicaba, de 1971 a 2003. Professor em vários cursos de férias e festivais de música. Foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Música Contemporânea.
Premiado em vários concursos de composição, em 1995 recebeu o Prêmio Associação Paulista de Críticos de Arte/APCA e em 2006 o Prêmio Martius Staden, conferido anualmente pelo Instituto Martius Staden ao profissional que mais contribuiu para o intercâmbio cultural Brasil-Alemanha.

É autor de obra extensa tendo abordado praticamente todas as formações instrumentais e vocais tradicionais, desde peças para instrumentos solo, passando por diferentes conjuntos de câmara até grandes obras corais sinfônicas. Se destacam as séries de Sonatinas e Concertinos para diversos instrumentos acompanhados por piano e orquestra de cordas, respectivamente.  Entre os concertos podemos destacar os para violino (1978), trombone (1983), clarineta (1988) e contrabaixo (1990), frequentemente executados. Para orquestra de cordas Mahle escreveu diversas obras que se encontram entre as mais tocadas do repertório brasileiro como a Suíte Nordestina (1976), a Sinfonietta (1978) e o Divertimento Hexatonal (1983). Outra vertente importante são as obras de caráter didático, muitas delas motivadas por seu trabalho na Escola de Música de Piracicaba, como os Duetos Modais, as Canções Folclóricas e a coleção As melodias da Cecília. No campo sinfônico podem ser citadas obras como o balé O Caçador de Esmeraldas (1977), a Abertura Festiva, a Sinfonietta, a Sinfonia Modal e a Sinfonia Nordestina (1990).

Mahle escreveu três óperas. Maroquinhas Fru-Fru (1974), a partir da peça teatral de Maria Clara Machado, já foi encenada dezenas de vezes por todo o Brasil. A Moreninha (1979) é baseada na obra de Joaquim Manuel de Macedo e O Garatuja (2006) foi inspirada na peça de José de Alencar. No repertório coral podem ser citadas A arca de Noé, sobre poema de Vinícius de Moraes, os Salmos, Te Deum e Magnificat para coro e orquestra.
 
Rua da Lapa, 120/12º andar - Lapa - 20021-180 - Rio de Janeiro - RJ / Brasil
Telefones (55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
Copyright 2015 - Academia Brasileira de Música - www.abmusica.com.br - Todos os Direitos Reservados